Blog da Camed
Conheça os tipos, sintomas e tratamentos para a gripe Em: 27/04/2018 Tags: , ,

A influenza, popularmente conhecida como gripe, é uma infecção do sistema respiratório cuja principal complicação são as pneumonias, responsáveis por um grande número de internações hospitalares no país.

O responsável por essa infecção é o vírus Influenza, que possui três tipos: A, B e C. O vírus Influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possuindo impacto na saúde pública e não se relacionando com epidemias. Já os vírus Influenza A e B promovem as epidemias sazonais, sendo o vírus Influenza A responsável pelas grandes pandemias. Dentre os subtipos de vírus influenza A, os subtipos A (H1N1 e H3N2) circulam atualmente em humanos.

Conheça os sintomas

Geralmente a gripe é iniciada com febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias.

Os sintomas respiratórios, como tosse, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre. Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar.

Devido aos sintomas em comum, a gripe pode ser confundida com outras viroses respiratórias causadoras de resfriado.

Como ocorre a transmissão?

A gripe pode ser transmitida de forma direta por meio das secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada ao espirrar, ao tossir ou ao falar, ou por meio indireto pelas mãos, que após contato com superfícies recentemente contaminadas por secreções respiratórias de um indivíduo infectado, podem carrear o vírus diretamente para a boca, nariz e olhos.

Tratamento

Pessoas com gripe devem beber bastante água e descansar. A maioria das pessoas se recuperará dentro de uma semana. Os medicamentos antivirais para a gripe podem reduzir complicações e óbitos graves, embora os vírus da gripe possam desenvolver resistência aos medicamentos. Eles são especialmente importantes para grupos de alto risco. Idealmente, essas drogas precisam ser administradas precocemente (dentro de 48 horas após o início dos sintomas).

Por isso, caso a febre alta persista ou evolua com desconforto respiratório, queda de pressão arterial, descompensação de alguma das doenças crônicas e mal-estar generalizado, é necessário buscar atendimento médico de imediato!

Vacinação

A vacina contra gripe ofertada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) protege contra os três tipos de vírus. É segura e a intervenção mais importante para evitar casos graves e mortes pela doença.

O Ministério da Saúde promove a Campanha Nacional de Vacinação e, neste período, a vacina é ofertada gratuitamente para grupos prioritários, formados por públicos mais suscetíveis a desenvolver a forma grave da doença. Saiba quais são:

– Crianças de 6 meses a 5 anos;
– Pessoas com mais de 60 anos;
– Gestantes e mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias;
– Profissionais da saúde;
– Professores da rede pública e particular;
– População indígena;
– Portadores de doenças crônicas, como diabetes, asma e artrite reumatoide;
– Indivíduos imunossuprimidos, como pacientes com câncer que fazem quimioterapia e radioterapia;
– Portadores de trissomias, como as síndromes de Down e de Klinefelter;
– Pessoas privadas de liberdade e adolescentes internados em instituições socioeducativas.

Prevenção

Para reduzir do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, especialmente as de grande contágio, como vírus Influenza, orienta-se que sejam adotadas as seguintes medidas:

– Lavar e higienizar as mãos frequentemente
– Utilizar lenço descartável para higiene nasal
– Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir
– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca
– Higienizar as mãos após tossir ou espirrar
– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas
– Manter os ambientes bem ventilados
– Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe

A vacinação é uma estratégia de prevenção da gripe. Ela é capaz de promover imunidade durante o período de maior circulação dos vírus Influenza, reduzindo o risco de formas graves da doença.

Com informações do Ministério da Saúde

COMPARTILHE: